ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

15 pratos (ou comidas) típicos entre Curitiba e San Pedro de Atacama

24 de outubro de 2016

(32)
Beto Madalosso dá as dicas gastronômicas da viagem de 15 dias por 4 países

Em outubro, o Beto Madalosso visitou o Atacama. Ele e a namorada, Julia. De moto. Foram 6.100 Km rodados (ida e volta de Curitiba a San Pedro de Atacama), por 4 países (Brasil, Paraguai, Argentina e Chile), em 15 dias de viagem. Das mais de mil fotos e vídeos, conseguimos os top 15 pratos (ou comidas) que eles encontraram pelo caminho. Como “glutões curiosos aficionados por comida” que são – dito por eles mesmos – , procuraram a culinária típica de cada região, sem frescura!

Confira os pratos da viagem do Beto Madalosso de Curitiba ao Atacama:

1 – Cabrito indo para a churrasqueira do hotel, em San Antonio de Los Cobres.

prato1

2 – Quinotto! O risoto de quinoa com funghi e cogumelos confitados do restaurante Adobe, em San Pedro de Atacama.

prato2-e1477329813673-500x340-fix

3 – No Delicias de Carmen, em San Pedro de Atacama, batatas salteadas e frango. Lá atrás, “Pastel de Choclo”, receita típica chilena com milho, carne de frango, gado e porco.

Caracoles 259-B / Calama 370-B
+56-952231936 (Caracoles), +56-957589291 (Calama)
carmenpasteles@yahoo.com

prato3-e1477329875145-500x340-fix

4 – Salmão também é hours concours no Chile, e eles são bons no que fazem. Grelham em fogo alto e deixam o meio bem mal passado, praticamente cru. Tecnicamente perfeito. Muito bom!

prato4

5 – Talvez o restaurante mais autêntico de San Pedro é o Baltinache. Lá comemos esta Língua de Cordeiro (não lembro exatamente o que acompanha). Uma delicia! Uma surpresa pra nós!

Domingo Atienza, San Pedro de Atacama, Chile
(9) 98710103

prato5

6 – Quem viaja de moto e passa o dia todo na estrada, acaba almoçando muito mais em postos de gasolina do que em restaurantes. E, nos postos, a gente improvisa com o que tem: iogurte, empanadas, cachorro-quente, bolachas, salgadinhos, croissants, etc. Na estrada, é a fome que manda. Na foto, a Julia se lambuza num potão de iogurte de coco num posto paraguaio.

prato6-e1477330018824-500x340-fix

7 – Acaso do acaso, entramos em uma escola achando que era uma igreja. Dali saíam pães fresquinhos para o lanche dos alunos. Levamos um de presente. Fica na estrada entre Salta e San Antonio de Los Cobres.

prato7

8 – Em Purmamarca experimentamos Locros Criollo, uma sopa que leva diversos tipos de carne e grãos, muito consumida na região.

prato8

9 – Também em Purmamarca, comemos escabeche de lhama. Muito bom!

prato9

10 – Ainda em San Pedro, paramos pra comprar suprimentos pra passar o dia turistando. Que tal este arroz doce colorido que achamos num mercadinho da periferia? Nostalgia pura!

prato10

11 – O café da manhã foi servido assim, ao ar livre, às 8 da manhã, enquanto visitamos os Géiseres del Tatio.

prato11

12 – Também nos Geiseres, outra maneira de matar a fome é com um espetinho de Lhama, servido para grupos de turistas que visitam a região.

prato12

13 – Um dos restaurantes mais tradicionais e movimentados de Assunção é o Bolsi. Além dessa fritada de vegetais, servida num bowl de repolho, eles servem uma empanada espetacular.

Estrella 399 esq. Alberdi
Central Asunción
+595 21 491 841

prato13-e1477330392698-500x340_fix

14 – Em Puerto Iguazu, fronteira com Foz do Iguaçu, comemos Pacú a La Plancha servido com arroz de cogumelos argentinos. Sabor marcante.

prato14

15 – E pra fechar, jamais poderíamos deixar de lado o prato mais popular da região: a Parrillada. Essa foi em Salta, acompanhada de vinho feito na região e panquecas de dulce de letche pra fechar a orgia.

prato15

Leia o relato completo da viagem aqui.

Leia também:

Walktour gastronômico em Miami
Uma visita a Cuba e o melhor para comer

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(32)
  • Excelente
    30
  • Muito bom
    2
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    0
DÊ SUA NOTA: