Há anos que Chile e Peru travam uma batalha midiática por causa do Pisco, aguardente à base do mosto das uvas, produzida em ambos os países, com teor alcoólico entre 30 e 40%. Se os peruanos dizem produzir o melhor, são os chilenos que exportam maiores quantidades e têm marcas mais reconhecidas.

Indícios históricos confirmam que a origem do Pisco está no Peru, mas o Chile propõe que ambos os países promovam a bebida juntos, a fim de conquistar maior fatia de mercado entre tantas outras aguardentes “exóticas”.

Tanto em Lima quanto em Santiago, o Pisco Sour é o drinque mais servido nos bares e restaurantes. Cada barman dá o seu toque pessoal à receita tradicional e defende a paternidade do drinque para seu país. Caso um chileno assuma que o Pisco é peruano, ou vice-versa, denuncie-o como delator do Patrimônio Nacional.

Como fazer

Em um mixer, misture 3 partes de Pisco, 1 parte de suco de limão, um pouco de açúcar (ou xarope simples), 1 clara de ovo e cubos de gelo. Misture vigorosamente, para que se forme uma espuma na hora de peneirar. Sirva em um copo de uísque (old fashioned) sem os cubos de gelo e adicione 1 gota de Angostura. Se quiser deixar o drinque com um sabor levemente diferente, use um pouco de suco de lima-da-pérsia junto ao suco de limão.