ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Ilha do Mel Fora do Eixo, por André Bezerra

9 de fevereiro de 2018

(28)
Conhecemos um novo lado saboroso da Ilha do Mel rodando de bicicleta

O Farol das Conchas, inaugurado no final do século XIX, oferece uma vista para a Ilha do Mel inteira. A vila de Nova Brasília fica na parte mais estreita. A Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres está ao pé do Morro da Baleia, na divisa da área povoada com a área de proteção ambiental. Adiante da grande muralha de pedra, a Baía dos Golfinhos, abrigo para cardumes de botos. No lado sul da Ilha, a vila das Encantadas, com infraestrutura e restaurantes, além da Gruta das Encantadas.

O continente ficou para trás, 4 quilômetros embarcados nos levou até o trapiche da Ilha do Mel, em Brasília (que não é a do DF!). Ali desembarcamos. Há também o desembarque em Encantadas, mas para lá pretendemos seguir em breve, nosso tempo era curto para tanto paraíso. Sob nossos pés descalços, a areia branca e fofa. Na ilha os transportes tracionados por animais ou a motor não são permitidos. O único congestionamento que presenciamos no final de semana que passamos ali, foi de estrelas no céu. Nossos objetivos eram pegar uma praia, comer e beber. Usamos uma bicicleta para nos locomovermos. O enviado especial da Tutano foi um detetive vira-latas. Com hábitos meio ogros e natureza curiosa, é claro que ele trilhou um circuito fora do eixo principal, mas muito Tutano.

Bar do Macuco

Macuco é o nome sobre a placa, mas pergunte a qualquer nativo sobre o Bar da Elza e eles vão te indicar a varanda de uma casa perto do trapiche. Reduto de boêmios esfomeados, ali você vai encontrar deliciosas panquecas caseiras de camarão, frutos do mar, carne ou vegetariana. Provamos a de camarão e a vegetariana, recheada com brócolis puxados no alho, cenoura e palmito. Cobertas com queijo derretido e molho de tomates fresquinhos, as receitas são da simpática Elza. Mas não pára por aí. Além das panquecas, há boas opções de burgers e as maiores e mais disputadas coxinhas da Ilha do Mel.

Dica Tutano: converse com a Elza ou mesmo com os frequentadores nas mesas em volta. Eles poderão dar belas dicas sobre o que fazer na ilha.

Nova Brasília, 50 metros do trapiche
(41) 3426-8048
Diariamente, das 17h até enquanto houver cliente.

Pastel da Lenir

Alguns metros adiante do Bar da Elza, está o Pastel da Lenir. Grande e muito bem recheado, ele faz a alegria dos frequentadores há dez anos. A Lenir, autora das receitas, foi levada por um câncer há cerca de um mês. Mas tudo indica que o legado de suas receitas seguirá tão presente quanto o Tie Sangue, pássaro típico da Ilha do Mel. É que o Adrianinho, a Carol e o Marcio, sobrinho, nora e filho da Lenir, continuam montando e fritando os famosos pastéis de carne, queijo, pizza, palmito, camarão e siri.

Dicas Tutano: escolha uma mesa sob as árvores, peça uma cerveja bem gelada para acompanhar e torça para um Tie Sangue vir dar o ar da graça. Se você gostar de jogar sinuca, tem uma mesa disponível.

Dentro da Pousada Sobre as Ondas, Nova Brasília.
(41) 99184-1448
Diariamente, 16h à meia-noite

Quiosque do Gladi

Há alguns anos o músico Gladi se mudou para a ilha para trabalhar e tocar. Por causa de uma chuva, o teto do alojamento onde ele trabalhava e morava desabou. Uma amiga, dona de outra pousada, passou a abrigá-lo. Mais do que isso, ele começou a usar um quiosque diante do ponto para vender quibe assado, salgados e torta vegetariana. Também passou a servir uma caipira de pinga com limão simplesmente sensacional. Preparada na frente do freguês, ela sai a R$ 5. Como fica em uma das principais trilhas e no nosso “caminho da roça”, a cada passada, parávamos para uma caipira. O Gladi nos fez ver que o mundo também gira na Ilha do Mel.

Dica Tutano: o Gladi (fala Gládi) vai te atualizar sobre a melhor programação cultural da ilha. No quiosque dele rola uma música mecânica bem bacana e vimos algumas personagens folclóricas se encontrando ali, como o artista plástico Carlos Trincheiras, o Lobo.

Quiosque diante da Pousada Paralelas, Praia do Farol.
Diariamente, das 16h em diante, depende de onde o Gladi vai tocar depois.

Mercado Laramar

O Marcelo dos Santos se casou com a Vanessa e, juntos, tiveram 4 filhas: Laura, Ana, Maria e Lara. Também adotaram o Luan, atualmente tatuador em Santa Catarina. Mas foi a Lara, de 14 anos, quem nos apresentou o Mercado. Na verdade paramos ali para tomar o café da manhã, com misto frio e café com leite, sentados em uma mesa na areia da praia. Enquanto isso, ouvimos a Laura nos contar que frequenta o colégio “ali atrás, perto do campinho de futebol”, que joga bola no time Nova Brasília, treina todos os dias – “a gente joga contra os meninos para ficar mais difícil” – e pretende ir para o colégio Militar de Curitiba para, então, estudar medicina e seguir carreira como médica da Marinha Brasileira.

– Nossa Laura, essa conversa me deu uma fome. Qual o petisco principal aqui?

– A porção de tainhota, com 500 g, por R$30, é uma delícia.

– Puxa, eu queria comer umas ostras.

– Só na Leonor, na Ponta Oeste. Ela cria em cativeiro e serve fresquinhas. Aqui no Mercado meu pai prepara quando dá na telha.

E não é que o Marcelo tinha umas ostras justamente naquele dia. Ele trouxe a churrasqueirinha, preparou na brasa e a Tutano, que chegou para o café da manhã, ficou no Mercado Laramar até quase na hora da janta.

Dica Tutano: se você procura um lugar descolado para simplesmente tomar sol e entrar no mar, a praia diante do Mercado Laramar, já no caminho para a Fortaleza, é bem pouco povoada. Você pode se jogar ali e ficar pegando bebidas e comida no próprio Mercado. O Marcelo e a Vanessa são super gentis. A Laura costuma ficar no balcão. Bata um papo com essa flor de hibisco.

Vila de Nova Brasília S/N, Ilha do Mel
Diariamente, 7h às 22h

Restaurante Por do Sol

Há 28 anos o João Euclides, ou João da Flauta, deixou a Toca do Coelho para ir tocar a pousada Por do Sol. O ponto é ideal para quem quer praticar SUP e outros esportes aquáticos. Mas é claro que paramos ali de olho no grande quiosque a dois passos da água do mar, diante da pousada. É onde funciona o restaurante. A porção de camarões crocantes e os pratos de verão chamaram a nossa atenção e o atendimento da garçonete Juliana foi perfeito. O João da Flauta costuma receber músicos colegas, por isso não é difícil rolarem boas canjas musicais.

Dicas Tutano: reserve um meio de tarde, peça para locar uma prancha de stand-up paddle e dê suas remadas ali mesmo, na baía, até o por do sol. Depois sente no quiosque, escolha um tira-gosto, um drinque, e fique olhando o rei sol realizar um dos mais belos espetáculos da Ilha do Mel.

Vila de Nova Brasília S/N, Ilha do Mel
Diariamente, 7h à meia-noite

Astral da Ilha

Até que enfim o colunista Tutano foi comer algo dentro do circuito principal! Comer não, venerável leitor. Fomos tomar cerveja. E das boas. Aliás das ótimas. É que o Guilherme Tizzot, que já surfou no Havaí e pelo mundo afora, chegou na Ilha do Mel há 10 anos e resolveu abrir um pequeno quiosque, chamado Astral da Ilha. Com o passar dos anos, o quiosque cresceu. A olhos vistos, a gente enxerga uma bela pousada e um restaurante charmoso. Mas a expansão liderada pelo jovem Tizzot vai muito além. Ele é um dos idealizadores e realizadores do Festival de Jazz da Ilha do Mel, que a cada ano reúne um time mais extraordinário de músicos geniais. O Festival faz a música brotar na Ilha feito cerveja artesanal das panelas do Astral.

Opa! Cerveja artesanal na Ilha do Mel? Sim. E com a marca registrada Astral da Ilha. E com produtos nativos. Tem cerveja de hibisco, de sassafrás e de cataia, todas originadas de plantas que abundam na Ilha. Mas não são simplesmente cervejas artesanais. São cervejas únicas servidas ali mesmo, no seu habitat mais natural. A pilsener, por exemplo, chamada de Rainha do Verão, tornou-se a rainha das artesanais — foi eleita, dentre mais de 1000 rótulos, a melhor pilsener artesanal do Brasil. O Gui é fã de IPAs. Ele, então, desenvolveu a IPA Dos Meus Sonhos. Sim, esse é o nome da IPA que ele não conseguiu dormir enquanto não chegou no sabor que sonhava acordado. A de hibisco sai cor-de-rosa da garrafa, sua espuma tem aroma da flor. A Cataia Ale colocou o colunista vira-latas da Tutano de volta fora do eixo, o efeito da folha de cataia é levemente analgésico sobre a língua. Foi um festival de cervejas boas no melhor astral da ilha.

Dica Tutano: experimente todas as cervejas. Dê um jeito. Se você se hospedar na pousada, pode ser carregado pelo garçom ou pelo próprio Guilherme até a sua suíte.

Diariamente, 8h à meia-noite
Praia de Fora – Brasília – Ilha do Mel
(41) 3426-8196 ou (41) 99872-6469

A Barca Pizzaria

O paulistano Gregório “Greg” Tucci trabalhou em um pizzaria na capital paulista até virar uma espécie de pizzaiolo alquimista. Depois ele abriu a Zucchine, em Curitiba, onde seguiu desenvolvendo as técnicas de alquimia sobre massas e recheios de pizza. Finalmente, em agosto passado, ele desembarcou com a Fabi, esposa dele, na Ilha do Mel. Rolava o Festival de Jazz e ele grudou no Gui Tizzot, grande parceiro de ondas e de esportes. Juntos, tiveram a brilhante ideia: o Greg abriu A Barca Pizzaria, dentro de um quiosque anexo ao restaurante Astral da Ilha. A alquimia funcionou e, atualmente, A Barca serve a pizza mais amada de toda Ilha do Mel.

Do balcão a gente assiste de perto enquanto ele prepara a massa especial, manuseada com farinha integral. Isso deixa a pizza mais crocante, leve, sem perder em nada o sabor. E assim, nosso giro pela Ilha do Mel acabou em pizza, no melhor dos sentidos.

Dicas Tutano: recomendamos todos os sabores, mas a de shitake é de subir os degraus para o Farol de joelhos. Coma tomando as cervejas Astral da Ilha.

Diariamente, 18h até meia-noite (isso até meados de março quando, estamos torcendo, A Barca Pizzaria navegará para águas curitibanas)
Praia de Fora – Brasília – Ilha do Mel
(41) 3426-8196 ou (41) 99872-6469

Leia mais:

Osteria Capitolina ganha o 1º Selo Tutano 2018
5 lugares pet friendly em Curitiba, por André Bezerra

rodape_andre

André Bezerra é amante da gastronomia boêmia e “garimpeiro” de experiências que surpreendem o paladar. Fundador da Monstro Animal – produtora de eventos – e escritor por hobby. Siga no Instagram: @andrbezerra

Artigo de: André Bezerra

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(28)
  • Excelente
    23
  • Muito bom
    1
  • Normal
    1
  • Ruim
    1
  • Horrível
    2
DÊ SUA NOTA:
COMENTÁRIOS
  • Adorei o Texto ... as dicas excelentes e perceber k ouviu as nossas para percorrer outros caminhos !

  • fico orgulhoso pela criatividade desses guerreiros parabens pois a qualidade e diversidade oferecem as pessoas uma qualidade de vida diferente criativa , apresentavel e socializada só fico um pouco triste pois sou professor e se torna um pouco dificil desfrutar dessas maravilhas poderiam criar tambem roteiros mais direcionados a classes menos favorecidas que admiram essas iguarias , ou criar festivais em conjunto em fins de semanas para todos poderem desfrutar dessas maravilhas a comunidade e turistas menos privilegiados mas que gostam tambem de coisas boas aaaaa admiro voces por essas criações parabens mais uma vez

  • ADOREI as dicas André! Vamos redescobrir a ilha pelo teu olhar e experiência gastronômica!!!

  • Súper dicas para quem quer experimentar a Ilha com olhos e "paladar" de quem vive neste paraíso!!! Parabéns pelo artigo!!!!
    Amoooo as dicas do André!!!