ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

11 lugares barateza para comer no centro da cidade

15 de setembro de 2017

(81)
Visitamos lugares para ser feliz gastando pouco (ou quase nada)

Atravessamos um tempo de vacas magras. E foi durante uma sessão solene, entre os imortais da Tutano, que surgiram as questões: “Será que barateza, na hora de comer ou tomar algo, é sinônimo de comer e beber mal? Um lugar, para servir refeições baratas, não pode ser agradável ou descolado? É possível se alimentar saudável, gastando pouco?” O circuito que desenhamos no centro de Curitiba prova o que já intuíamos: Sim, existe felicidade no fundo de um bolso quase vazio.

Café Haiti

O casal Elias Massabki e Dona Albertina inauguraram esse café, na entrada da Galeria Lustosa, em 1970. Ainda sob o comando deles, são da Dona Albertina as principais receitas. Atendendo no caixa, ela esclarece: “A esfirra, pão de queijo, empadão de frango e torta de banana”.

– Dona Albertina, e o mate batido de limão?

– Não é de limão, é batido com limão.

– Perfeitamente. E o café preto?

– É filtrado quase que de hora em hora. Não posso oferecer, à tarde, um café que foi passado de manhã. E é forte!

Descendente de italianos, a Dona Albertina sabe das coisas. E o Seu Elias, “brimo”, também. Os lanches e bebidas custam de R$1,50 a R$10,80.

Rua XV de Novembro, 556, Centro (entrada da Galeria Lustosa)
(41) 3223-0653
Segunda a sexta-feira, 7h às 19h
Sábados, 8h às 16h

Bronco Billi

O casal Fabrício e Elizandra Cordeiro assumiram o restaurante – tradicional na Saldanha com Muricy – há dois meses. Felizmente, garantiram a relação buffet equilibrado a preço honesto. O quilo custa R$29,90, mas há opção de pagar R$12,90 pelo livre. Isso inclui um belíssimo balcão de frutas, saladas, pratos quentes e sobremesa.

Tudo muito colorido e fresco. Uma boa dica é pedir uma das opções de suco detox.

Rua Saldanha Marinho, 165, Centro
(41) 3223-6234
Segunda a sábado, 11h às 14h30

Café Senadinho

Já recomendamos tomar um café em uma das mesas do Café Senadinho, está no Circuito na Rua XV. É uma delícia ficar por ali, bem no meio do calçadão, olhando Curitiba passar. Dessa vez fomos tomar um sundae com o Marquinhos, arrendatário do ponto. Custa R$4,00.

Quiosque no calçadão da Rua XV de Novembro, quase esquina com a rua Monsenhor Celso
Segunda a sábado, 7h às 20h

Biblioteca Pública do Paraná

– Mas o quê eu, leitor Tutano, vou comer na Biblioteca Pública? Abriram algum Café lá dentro?

– Ainda não. Vai comer livros, alimentar seu espírito nas exposições. Beber dos saraus musicais e literários, frequentemente promovidos dentro do prédio histórico. É tudo de graça. Depois, suba uma quadra, atravesse a rua e vá conhecer o próximo endereço desse circuito.

Rua Cândido Lopes, 133, Centro
(41) 3221-4900
Segunda a sexta-feira, 8h30 às 20h
Sábado, 8h30 às 13h

Mercearia & Panificadora Viana

Curitiba se encontra nessa mercearia desde 1906. Foi um amigo, o Dolabella, quem nos mandou ali. Jantávamos lula ao shimeji, acompanhada de belos pãezinhos franceses, no Bar dos Passarinhos, quando ele indicou:

– Bezerra, eu só compro o melhor pão de Curitiba, na Viana.

Como o Dolabella sabe das coisas, rumamos para lá. Mudou de endereço, mas continua no centro da cidade, a poucos metros do ponto original e alguns metros do marco zero da capital paranaense, entre a Biblioteca Pública e a Praça Tiradentes.

Além da infinidade de opções de pães, broas e bolos, descobrimos que o salame e a cracóvia também são de fabricação própria. Talvez por isso eles consigam cobrar R$2,50 pelo belo misto frio com salame, cracóvia, mortadela e queijo que lanchamos ali. Tudo dentro do melhor pão de Curitiba, segundo o chef Marco Dolabella.

Rua Cândido Lopes, 38, Centro
(41) 3222-8992
Segunda a sexta-feira, 6h15 às 19h45
Sábado, 6h15 às 15h

Pastelaria Brasileira

Bem diante da Biblioteca Pública. Confesso que não chegamos a comer o pastel, já havíamos comido alguma coisa em 5 endereços diferentes, tomado sundae e bebido vitamina. Mas, o Beto comeu ali durante um circuito de pastéis de bicicleta, e rasgou de elogios. Por isso entramos no estabelecimento: para matar um pouco as saudades do Beto Madalosso.

A casa estava lotada e ainda não eram nem 11h da manhã. Adoramos a aparência dos pastéis nas estufas e também ao longo do balcão e entre as mesas, enquanto as pessoas comiam. Além disso, a pastelaria foi fundada no final da década de 50, portanto, lá se vão quase 70 anos. Barateza com muita história e tradição.

Dica Tutano: eles aceitam encomendas para festas e eventos.

Rua Cândido Lopes, 156, Centro
(41) 3233-4549
Segunda a sexta-feira, 7h30 às 19h
Sábado, 7h30 às 14h

Roma Sucos & Café

Esse quiosque está na Praça Osório há 10 anos. Hoje é arrendado pelo jovem casal de primos cearenses, Denilson e Aline. São eles que atendem, assam os pães de queijo e preparam os deliciosos sucos e vitaminas, que custam R$6,00.

Ótima pedida saudável para quem está percorrendo a região e gostaria de fazer um intervalo sob as copas das árvores centenárias. Você pode dar sorte e encontrar algum artista ou personagem ilustre por ali. A Praça Osório é passarela e cenário de alguns dos melhores contos, matérias, cartuns e registros fotográficos, por escritores, jornalistas e fotógrafos que se inspiram em Curitiba, como Luis Henrique Pellanda, Eduardo Aguiar, Dante Mendonça, Solda, Maringas Maciel, entre outros.

Dica Tutano: se quiser fazer uma refeição saudável nesse quiosque, tem açaí com morango, banana e granola. Custa R$10,00 na tigela ou no copo de 400ml.

Praça Osório com Alameda Cabral
Segunda a sexta-feira, 8h às 20h
Sábado, 8h às 17h
Domingo 10h às 17h

Ainda diante da Praça Osório, mais 3 endereços bacanas:

Pastelaria Nakashima

Inaugurada há 32 anos pelo senhor Nakashima, o endereço vive lotado de gente comendo pastéis em volta do pequeno balcão. Custam à partir de R$4,00.

Praça Galeria Osório, 367, Centro
Segunda a sexta-feira, 8h30 às 18h30
Sábado, 8h30 às 13h30

Casa das Broas

Há 20 anos o endereço está sob o comando do casal Edenilson Grochovski e Joceli Mori. Todas as broas e alguns bolos e cookies são de fabricação própria. O Edenilson nos deu uma aula sobre o uso da farinha na panificação, a diferença entre as refinadas e as integrais e a diferença que elas fazem na hora da digestão. É isso que impacta na aparência dos pães e em como nos sentimos após ingeri-los.

Comemos um delicioso misto-quente na broa integral de centeio. A “mini-broa”, que tem o tamanho de uma broa normal, custa R$3,90; a broa “pequena”, que é uma broa bem grande, custa R$6,50. A broa grande não está em exposição porque só sai por encomenda. Perguntamos o tamanho dela e o Edenilson abriu os dois braços.

Dica Tutano: pergunte pelos pães sem glúten e sem lactose.

Praça Osório, 333, Centro
Segunda a sábado, 7h às 19h

Sacolão Osório

“Irmão” do Sacolão perto do Passeio Público, essa unidade, diante da Praça Osório, abriu há duas semanas. Produtos de hortifrúti com ótima aparência, a preços inferiores à média dos mercados tradicionais, além do atendimento atencioso.

Dica Tutano: como fica direto para a rua, se você frequenta o centro, pode dar uma passada rápida para compras menores, várias vezes na semana. Não perde tempo e garante que sua casa fique abastecida com frutas, verduras e legumes frescos.

Praça Osório, 379, Centro
Segunda a sexta-feira, 8h às 20h
Sábado, 8h às 17h
Domingo, 10h às 17h

Casa Heitor Stokler

Trata-se do Centro Cultural Sesi. Ali, você também alimenta seu espírito e ouvidos com afinadas apresentações musicais, em uma das melhores salas de Curitiba. Aos sábados, é comum acontecer o projeto “Acordes na casa”. Começa sempre às 11h da manhã. No menu, projetos brilhantes dos músicos mais virtuosos daqui, muitas vezes trazendo convidados de fora. A entrada é franca.

Dica Tutano: ótima forma de começar seu sábado. Dá para “filar” um café preto na cozinha da casa e, depois do espetáculo, caminhar ou pedalar até o Café Haiti – a poucas quadras – e começar tudo de novo.

Av. Marechal Floriano Peixoto, 458, Centro
(41) 3322-2111
Segunda a sexta-feira, 13h às 17h
Sábado, 11h às 16h

rodape_andre

André Bezerra é amante da gastronomia boêmia e “garimpeiro” de experiências que surpreendem o paladar. Fundador da Monstro Animal – produtora de eventos – e escritor por hobby. Siga no Instagram: @andrbezerra

Leia mais:

Bar Mignon, por André Bezerra
Onde comer na Rua XV de Novembro

Artigo de: André Bezerra

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(81)
  • Excelente
    47
  • Muito bom
    5
  • Normal
    4
  • Ruim
    12
  • Horrível
    13
DÊ SUA NOTA:
COMENTÁRIOS
  • Opa! Vamos dar uma conferida lá. Obrigado, Daivid!

  • Olha, vale a péna dar uma olhada no Zabot, perto do Hc. Preço bom e pratos a la carte. Excelente

  • Oi, Luiz Fernando, tudo bem? Para fazer essa reportagem, nosso colunista André Bezerra foi em todos os 11 lugares indicados. Que pena que sua experiência no restaurante não foi tão bacana quanto a nossa. :(

  • Fui conhecer o almoço do Bronco Bili em função desta postagem. O lugar deixa a desejar, tem um ambiente baixo astral, a comida é boa dentro da proposta econômica, porém, as opções de carnes são péssimas. Entendo que podem melhorar e indico que o tutanogastronomia.com.br conheça os lugares antes de indicá-los.

  • Saúde e qualidade são dois quesitos que caminham juntos e estas dicas primam os dois....oh sorte ....valeu André!!!!

  • A pastelaria Brasileira , na frente da Biblioteca , era a té bem pouco tempo conhecida como o
    Pastel da Dona Rosa . Ela vendeu , mas passou o segredo daquele pastel . E é simplesmente o melhor do mundo ,
    Vou ali desde meus 3 anos de idade . Era assistir um filme do Jerry Lewis no Cine ópera e passar no Pastel , com minha irmã e minha mãe . É um dos grandes tesouros emocionais da vida dos Curitibanos .