KF, por André Bezerra

0
1370
Picanha no espeto. Foto: André Bezerra

O casal Edson e Kely Souza fizeram uma espécie de malabarismo para estarem com a Tutano. Fomos recebidos em uma das casas deles, a KF Grill, com um belo almoço. O menu? Churrasco, naturalmente. O malabarismo foi por causa da agenda deles em dezembro. Geralmente, o grupo KF chega a atender 50 eventos por mês, entre particulares e corporativos. Na época das festas de fim de ano, o volume aumenta e eles já chegaram a atender 14 eventos em um único dia. Quer um número ainda mais impressionante? O recorde deles foram 57 mil pessoas atendidas em um mês. Isso nos eventos, fora os almoços diários – cerca de 400 refeições vendidas por dia entre a KF Grill e o KF Deck – e a clientela do açougue, KF Carnes.

O pequeno “engraxate”

Parece matemática de campeonato de futebol? Se fosse o caso, a KF certamente estaria entre os times de altíssima performance. Aliás, se tivéssemos perguntado ao Edson no que ele pensava em ser quando crescesse, provavelmente a resposta teria sido “jogador de futebol”. Isso nos tempos quando ele ainda engraxava sapatos e nem sonhava com o negócio de carnes.

Pois foi assim que tudo começou na vida deste empreendedor. Vindo de Guairacá, na região metropolitana de Londrina, para Curitiba, aos oito anos ele vendia picolé quando a maioria das crianças do tamanho dele só sabia o que era chupar o sorvete. Na mesma época o menino passou a engraxar sapatos. Havia uma empresa, a Refeições Industriais Vovô Juca, que servia alimentação para clubes curitibanos. O jovem engraxate foi convidado para trabalhar na Sociedade Água Verde e, dos dez aos 15 anos, lavava panelas, cortava tomate, cebola, preparava massa para as panquecas e atendia a clientela. “Eu era muito caprichoso, cuidava de oito bocas de fogão preparando as massas para as cozinheiras rechearem” – contou ele para a Tutano. O pequeno Edson também passou pelas áreas administrativa, financeira e de recursos humanos, adquirindo uma vivência muito precoce. “Aprendi de tudo. Havia muitas senhoras e elas me adotaram como a um filho.”

Um negócio pioneiro

Quando Edson tinha 15 anos, o irmão mais velho de sete, João Barros, comprou uma lanchonete e convidou o irmão mais novo para trabalhar junto. O João representava carnes e, na época, prestava um tipo de serviço que se tornou pioneiro: comprava cortes inteiros de carne nos mercados, processava e embalava em partes como filé mignon, chateaubriand, tournedor, picanha e estrogonofe e revendia para restaurantes e hotéis pela cidade. Havia descoberto um nicho. Aos 18 anos o Edson se juntou a ele novamente e passou a ajudar em todas as etapas, dos cortes, embalagem, até a venda e entrega ao cliente final. Em uma destas visitas a um supermercado acabou conhecendo uma promotora dos sucos Tang, por quem se encantou de imediato. “Mandei um buquê de flores para ela acho que no dia seguinte.” O nome da promotora é Kely e foi aos 21 anos que o Edson, nas palavras dele, conheceu o K da KF. Além disso ela é sócia nos empreendimentos da família e companheira de vida deste empresário. É que alguns meses depois de se conheceram ela ficou grávida do primogênito do casal, o Feliphe.

Em meio às dificuldades, os irmãos Edson e João formalizaram a JE Barros e seguiram trabalhando no negócio de carnes. A Kely passou a trabalhar junto com eles e acompanhar o marido nas entregas. “A mesma Kombi que usávamos para trabalhar era o nosso carro de passeio.” – revelou a Kely, se divertindo. Na mesma linha de acontecimentos, a câmara fria da JE Barros ficava atrás da casa onde moravam Edson, Kely e o pequeno Feliphe. Alguns anos mais tarde o Edson saiu da sociedade e foi perseguir o negócio que almejava para a família.

Açougue KF

“Eu sempre quis ser dono do meu próprio negócio” – recordou Edson. E assim foi. Em 1997, quando o Feliphe estava com três para quatro anos, o casal encontrou uma casa na Vila Isabel. Mudaram-se para lá e, no mesmo imóvel, abriram o Açougue KF com uma geladeirinha, a Kely no caixa, dois meninos atendendo no açougue e mais dois no atacado. O início não foi fácil, a estrutura e o dinheiro eram poucos. Passaram a atender eventos e o Edson ia, pessoalmente, assar churrascos para famílias, grupos de amigos e empresas. Isso foi fundamental para que o açougue começasse a ficar conhecido e prestigiado.

Pelos cálculos do Edson, de lá para cá foram cerca de 35 mil eventos dentre os quais ele foi pessoalmente a pelo menos 20%. Fazendo outro cálculo rápido, ele já assou carne em aproximadamente 7.000 churrascos. Mas para tudo tem um começo e cada um se vira com o que tem. Quanto ao Edson, ele jogava bola com um time de senhores que conhecia desde os tempos de Sociedade Água Verde. O futebol acontecia de três a quatro vezes por semana. Pois o assador começou a preparar as carnes e levar para o time todo experimentar. “Normalmente ficava bom, mas às vezes dava na trave.” O nome do time era Pelaboleiros e, enquanto jogava bola com este timaço de amigos, o jovem Edson entrou com tudo para a divisão dos maiores churrasqueiros do Paraná, deixou de ser amador e, ao lado da Kely, alçou para a condição de “cartola” do fogo e carvão.

KF Grill

No ano 2.000 eles abriram mão das vendas no atacado e focaram no açougue e nos eventos. Em 2004 o casal inaugurou um segundo endereço, a KF Grill. No início com 80 lugares, ao longo dos anos reformas e ampliações foram sendo realizadas. Hoje são aproximadamente 400 lugares na KF Grill e 150 funcionários fixos entre KF Açougue, KF Carnes e o mais jovem rebento, o KF Deck. Trata-se de um deque aberto na cobertura do açougue, onde o serviço é à la carte e conta, inclusive, com opções diárias de pratos executivos. E ainda existe uma quinta operação, a KF à la carte, que é uma área reservada dentro da KF Grill para quem quer comer os assados, mas sem entrar no rodízio. Ali também é possível realizar eventos fechados, como festas particulares ou rodadas de negócio.

Além do Feliphe, vieram também a Izabela e o Vinícius. Hoje os três filhos têm funções no Grupo. O primogênito administra o KF Deck, a Izabela está na administração da KF Grill e dos eventos, junto com a Kely, e o Vinícius assumiu funções no Açougue KF. O Edson, como sempre, mantém o olho em cada etapa e também no futuro: “Deveremos investir em um centro de treinamento para proteína animal e, quem sabe, partir para franquias.”

A família não mora mais no imóvel onde está o açougue e a Kely mantém uma biblioteca com livros sobre churrasco e receitas do mundo inteiro. Como eventualmente ela assume a churrasqueira junto com os assadores – não é raro encontrar colaboradores com duas décadas de Casa no Grupo KF – muitas receitas do cardápio foram criadas e testadas por ela.

Finalmente perguntamos ao casal o que quer dizer KF. A resposta veio meio atrapalhada, pelos dois, típico de casal com muitos anos de companheirismo: “É de Kely e Feliphe”, respondeu o Edson olhando para a esposa apaixonadamente, como se a visse pela primeira vez. “Sim, mas coloque na matéria que é de Kely e Família”, emendou ela.

E em meio a um dos melhores almoços que já participamos, a Tutano conseguiu um presente de natal para os seus leitores. A receita de um dos grandes clássicos do churrasco na capital paranaense, a Fraldinha na Mostarda da KF:

KF revela para a Tutano a receita de Fraldinha na Mostarda

A Fraldinha na Mostarda, um dos pratos mais requisitados na KF, sempre desperta curiosidade sobre seu preparo. Mesmo na KF Carnes, onde ela é vendida pronta para assar, é comum receber perguntas sobre os temperos certos que fazem a carne única. O preparo pode ser na churrasqueira, forno, ou frigideira, e fica uma delícia acompanhada de arroz branco, batatas rústicas e um mix de folhas. Conheça a receita:

Ingredientes:

  • 1kg fraldinha bovina sem gordura
  • 1 dente de alho triturado
  • 1 cebola moída
  • shoyu a gosto
  • 500g de mostarda escura
  • 50 ml de óleo de soja
  • salsa fresca e sal a gosto.

Preparo:

Coloque todos os temperos e molhos em um recipiente e misture bem. Separe uma peça da fraldinha bem limpa em uma forma e cubra com o molho de mostarda deixando marinar por pelo menos uma hora. Se preferir prepará-la como churrasco, a dica é assar a uma distância de 30 cm da brasa forte. Sirva cortada em iscas largas, em direção contra as fibras. Outra sugestão para essa carne é servi-la mal passada! Para o dia a dia, uma dica é fazê-la na frigideira: corte em bifes, raspe o molho da carne, sele na frigideira e, na sequência, jogue o molho por cima. Bom apetite!

KF Carnes
Rua Guaianazes, 15, Água Verde
Segunda a sábado, das 8h as 20h; domingo, das 8h as 13h
Tel: (41) 3342-4581

KF Deck
Reservas para eventos
Telefone: 41 3071-3977
WhatsApp: 98707-8339
Endereço: Rua Guaianazes, 15, Vila Izabel
Almoço: terça a sexta-feira, 11h às 14h; sábado, 10h às 16h; domingo, 10h às 15h

KF Grill
Rua Major Heitor Guimarães, 946
(41) 3016-4581
Almoço: segunda a sexta, 11h30 às 14h30; sábado, domingo e feriados, 11h30 às 15h30.
Jantar: segunda à sábado, 19h às 22h30.
Não abre na terça-feira.

KF a La Carte
Rua Major Heitor Guimarães, 946
(41) 3016-4581
Sábado e domingo, 11h30 às 15h30.
Reservas: de segunda a sexta-feira (almoço e jantar)

KF Eventos
(41) 3343-6370

rodape_andreAndré Bezerra é amante da gastronomia boêmia e “garimpeiro” de experiências que surpreendem o paladar. Fundador da Monstro Animal – produtora de eventos – e escritor por hobby. Siga no Instagram: @andrbezerra

Leia mais:

Tartaruga, por André Bezerra
Panificadora Aquarius, por André Bezerra
Churrascaria Amantino, por André Bezerra
Frango e galeto assados em Curitiba, por André Bezerra