Mãos de Fada no Boteco, por André Bezerra

3
690
Silmara, João, Zize e Silnara. Foto: André Bezerra

Fazia quase um ano que frequentávamos o Schnaps Bar quando, enfim, conhecemos a Zize pessoalmente. E olha que ela certamente estava na casa quase todas as dezenas de vezes que estivemos antes de nos encontrarmos. É que, enquanto frequentávamos as mesas e o balcão do bar, ela se mantinha encerrada em território muito mais restrito. Aquela área quase sacra de uma casa que apresenta ótima culinária: a cozinha.

Assim, tivemos que pedir para a Silmara, irmã da Zize, que fosse apanhá-la e trouxesse até a nossa mesa. Queríamos dar um abraço nela. Era a maneira de demonstrarmos gratidão pela refeição incrível que acabáramos de fazer, toda preparada por ela e os cozinheiros assistentes. Daquele dia até o Schnaps ser consagrado o melhor boteco de Curitiba pelo maior concurso nacional de cozinha de raiz – o Comida di Buteco – foi questão de tempo.

Batizada Denize Grandal Rifas, essa cozinheira com mãos de fada é curitibana, filha caçula de 4 irmãos. Pai espanhol, Seu Manuel, e mãe brasileira, Dona Dulce. Desde pequena frequentava a cozinha da mãe. Aos domingos, ela preparava um almoço especial para o marido – que também gostava de cozinhar – e os quatro filhos: Francisco, Silmara, Rodrigo e Denize. O menu: maionese de batatas, posta e macarronada. Coincidência ou não, o cardápio é replicado nos almoços de domingos do Schnaps, além das carnes na brasa.

“Mas a minha posta não chega aos pés da posta da minha mãe”, declarou a cozinheira num arroubo insano de modéstia. A maionese caseira e a posta dela atraem multidões ao bar. Assim como a feijoada, o filé à parmegiana, a carne de onça, o bolinho de carne, a costelinha de porco no forno, o gnocchi, a dobradinha, o caldinho de mocotó e por aí vai.

Schnaps no Comida di Buteco

A consagração da cozinha do Schnaps, porém, começou no Comida di Buteco 2016. Para aquela edição do evento, o time do bar criou o Mignonzola: cubos de mignon e aipim na manteiga, ao molho de gorgonzola e alho. Um sucesso de público e crítica que segue em cartaz até hoje no cardápio da casa.

O boteco ficou entre os 10 melhores classificados no concurso daquele ano, dentre 20 concorrentes. Na edição seguinte do concurso, em 2017, o tira-gosto criado foi o Brega & Chique: Bolinhos de arroz com linguiça Blumenau e queijo provolone (o “Brega”), acompanhados de espetinhos de xixo (o “Chique”). O Schnaps subiu para terceiro colocado no concurso do ano passado.

Este ano a Zize, a Silmara, a Silnara e o João se saíram com o Bomdepetiscar: Costela de panela desfiada e servida na cesta comestível de massa de pastel assada. Acompanham rolinhos Margherita e de Romeu e Julieta, farofa e vinagrete caseiros. Com a receita, o Schnaps sagrou-se campeão do Comida di Buteco 2018, em Curitiba, passando para a etapa nacional do concurso.

Segredos de Receitas

Perguntada sobre o processo de criação das receitas, a Zize destacou o trabalho em equipe: “A gente reúne o pessoal do bar e todo mundo dá palpites. A Silmara gosta de agradar a todos, então falou em termos os rolinhos salgados e doces. Eu e o João – dono do Schnaps – pensamos na costela, e a Silnara – garçonete tempo integral e cozinheira nas horas vagas – deu a ideia da cesta comestível.” Em ano de copa do mundo, o time do Schnaps marcou gol de placa. Sobre os nomes dos petiscos concorrentes, ela respondeu: “a gente realiza uma espécie de enquete com os clientes do bar”.

Schnaps Bar

A história do Schnaps – cachaça ou pinga em livre tradução para o português – remete a 9 anos, quando o João Winheski – marido da Silmara e cunhado da Zize – abriu o comércio com um sócio. Hoje ele toca a casa atrás do balcão, com as duas irmãs que entraram oficialmente no estabelecimento há cerca de 5 anos, Silmara no salão e a Zize na cozinha. O irmão Francisco, mais velho, foi levado por um câncer e o Rodrigo, terceiro entre os quatro, é dono de outro boteco campeão, o Dom Rodrigo, em Santa Felicidade / São Bras.

Denize Por “Zize”

A Zize é casada com o Ernani, com quem teve o Matheus, de 20 anos e estudante de administração. Ela é libriana e torce pelo Atlético Paranaense. Ama viajar para o nordeste e para o Rio de Janeiro. Ela também gosta do verão, da cor vermelha e de ouvir rock clássico (especialmente U2 e Elton John). Sempre que pode, frequenta restaurantes em Curitiba, de preferência com a irmã, sua maior influência e melhor amiga. Citou a Pizzaria Baggio, a Churrascaria Tobias Grill e o Restaurante Velho Madalosso.

“Zize, e qual é o seu prato favorito?”

“Polvo. Faço um risoto de polvo que é uma delícia.”

“É disso que o polvo gosta, Zize! Dá cá mais um abraço!”

E ela abriu aquele sorriso caloroso que, como dizia Nelson Rodrigues, faria derreter catedrais.

Schnaps Bar

Rua André Zaneti, 129, Vista Alegre
(41) 3408-2027
Terça a sexta, 18h às 23h
Sábado, 12h às 23h
Domingo, 12h às 20h

rodape_andre

André Bezerra é amante da gastronomia boêmia e “garimpeiro” de experiências que surpreendem o paladar. Fundador da Monstro Animal – produtora de eventos – e escritor por hobby. Siga no Instagram: @andrbezerra

Leia Mais

5 lugares para comer Churrasco de Igreja

20 histórias concorrem ao título de melhor boteco de Curitiba

Velho Oriente, por André Bezerra

Onde comer sopa em Curitiba, por André Bezerra

3 COMENTÁRIOS

Comments are closed.