Redondas Tutano: o primeiro foi fora da curva e pede mais

0
676

Mais um filho da Tutano nasceu! Nosso caçulinha Redondas Tutano chegou em uma noite incrível, praticando o diálogo e unindo as pessoas por meio da comida. Bem a nossa cara, né? Tivemos Redondas com feijão orgânico produzido pelo Roberto Gurski, de Palmeira (PR), que trouxe a sabedoria do campo para o encontro no Madá. 

O Roberto foi convidado pela chef Gabriela Carvalho, do Quintana Gastronomia, que o incentiva a produzir variedades. “Planto mais de 15 tipos de feijão. A Gabriela e a  Rosane Radecki, do restaurante Girassol, ajudam a aumentar a demanda, a divulgar o produtor e a fazer as pessoas experimentarem. Hoje, eu produzo muito pouco feijão preto porque meus clientes da feira vêm atrás dos coloridos. Sem falar que minha renda melhorou também”, conta Gurski.

Gabriela  falou sobre o poder dos pulses. “Os feijões, o grão-de-bico, a lentilha são todos pulses e eles têm um potencial enorme pela composição nutricional e a capacidade de produção na agricultura familiar. Quando a gente só come feijão preto ou só carioca, está limitando o produtor. Vamos variar nossos feijões, gente! Dá pra fazer tanta coisa!”, disse com uma energia incansável.

Redondas Tutano com feijão

Bom, a Gabi não só falou como apresentou provas (goxxxxto!!). De entrada, preparou um mix crocante de feijões coloridos e trio de pastas de feijão. Com o chef do Madá, Jorge Mariano, criou três pizzas inovadoras. Afinal, pizza com leguminosa é pra cozinheiro fora da caixa.

Jorge adaptou a massa napoletana com 10% de farinha de feijão. “ Ficou super saudável e com alto índice de proteínas”, avisou. Gabi fez um vinagrete de feijões que combinou com molho de tomate, azeitonas pretas e grana padano. Dos deu-ses! Ou melhor pizza da Deusa, porque foi batizada de Pizza Gabriela. “Essa fica no menu do Madá até a próxima edição do Redondas”, anunciou o chef. Também teve uma redonda com camarão, ricota, feijão germinado e PANC, e outra com panceta de porco moura finalizada com mel, vinagrete de feijão e feijão crocante.

Não é conversinha

O Beto Madalosso, pai da Tutano, foi quem teve a ideia de reunir pizza, conversa, campo e cidade. “Não é questão de levar o produto da horta à mesa. Estamos falando de conhecimento. Como consumir um feijão selvagem se as pessoas não sabem como preparar? E mais: qual o impacto do consumo desse alimento? O REDONDAS se propõe a conscientizar. Pra mim, a satisfação é em dobro: é ter chefs que admiro junto com seus produtores dentro do meu restaurante. Essa troca enriquece todo mundo”, diz.

E para quem tem a alma da Tutano, a fala do produtor Roberto Gurski é marcante: “Eu nem sei o que dizer. Nunca pensei que estaria em um evento assim, no meio de gente importante”. Aí é só lembrar que nessa cadeia tudo começa lá no campo e o produtor é essencial. Queremos conhecê-los e por isso teremos mais Redondas!

Anota aí:  o próximo Redondas Tutano será dia 13 de abril no Madá.

Todas as informações em breve!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Enviar comentário
Seu nome