ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Ode ao pastel: 5 “variações” do Rei da Feira

28 de agosto de 2017

(7)
O rei da feira, da fome da madrugada e dos encontros com amigos. Senhoras e senhores: o pastel!

Ele é o rei da feira e dos passeios de sábado, uma solução rápida para rebater aquela fome que aparece do nada, a salvação para aqueles encontros em que metade do pessoal come carne e a outra não. Estamos falando do pastel, um alimento que, além de tudo isso, é muito democrático: vai bem com – quase – tudo e ganhou o gosto da galera.

Variando os recheios, dá para fazer com que o pastel sirva de aperitivo ou se torne o centro das atenções, numa refeição inteira. É por isso que, muitas vezes, a simples frase “quero comer pastel” não resolve muita coisa. Depois de se perguntar “pastel de quê?” é que a decisão começa a tomar rumo.

Pois bem. Nos deparamos com uma nova variante na classificação dos pastéis. A etnia do lanchinho escolhido. Quem diria que o já vasto leque de possibilidades para os amantes de pastel poderia ficar ainda maior? Segue a lista dos parentes do pastel que podem variar o seu cardápio e te fazer tão feliz quanto o casamento de um pastel de queijo com caldo de cana numa feirinha de sábado:

Fogazza

Este pastel italiano veio da terra das massas e começou a fazer sucesso no Brasil em 1979, quando Ida Pugliesi passou a servir a receita que aprendeu com sua mamma na festa da Paróquia Nossa Senhora Achiropita, no Bixiga, região central de São Paulo. A fogazza caiu no gosto do povo e movimenta a festa até hoje, em sua 91ª edição! Cruzando mais fronteiras, a receita foi reproduzida em outros estados e ganhou o coração dos brasileiros.

Ah, não confunda fogazza com foccacia. Esta é uma massa assada, tradicionalmente coberta com sal grosso, azeite e alecrim. O formato e a textura da iguaria, crocante por fora e macia por dentro, são bem diferentes de um pastel.

Gyoza

O tamanho, o modo de rechear e o formato final dos gyozas fizeram com que eles ficassem conhecidos como o pastel chinês. Na China, o nome do prato é Jiaozi, mas como foram os japoneses que popularizaram a receita, ele é mais conhecido pelo termo usado nesses restaurantes.

Gyoza pode ter vários tipos de recheio. Um dos mais recorrentes são carne de porco, repolho e aquelas especiarias que são a cara da cozinha oriental. Existem, inclusive, receitas usando a massa do nosso pastel! A diferenças é que, além de frita, ela também é cozida no vapor.

Pierogi

O mesmo formato de meia-lua e o tamanho das massas fazem o pierogi, prato polonês, ter suas semelhanças com o pastel. A massa é mais grossa e sempre cozida, sem fritura! A combinação de recheio e molho encorpados dão o toque final que acaba fazendo do pierogi um prato comum em almoços e jantares. Ele é mais considerado como uma refeição do que um lanche. O recheio é democrático: pode ser salgado, apimentado ou doce.

Empanada

A receita, simples e cheia de amor, é muito popular entre nossos vizinhos latinos. As mais conhecidas são as empanadas chilenas e argentinas. A massa feita com farinha de trigo, banha de porco, água e sal era usada para embrulhar as carnes que os pastores e viajantes carregavam por longos percursos. O sabor único deste prato está muito além do recheio, geralmente de carne, ovo, uva passa e azeitona. É que o preparo das empanadas exige delicadeza para fazer uma massa fina, mas firme ao mesmo tempo, e dedos pequenos para o “repulgue” que fecha a borda dos pastéis. É por isso que, tradicionalmente, quem faz as empanadas são as mulheres!

Tapioca

Você chegou até aqui com água na boca? Vontade de jogar tudo pro alto e se lançar em um mochilão gastronômico? Buscar o melhor pastel de cada etnia? Montar um atlas de sabores? O que poderia te impedir? Dieta?! Sem problemas! Ainda há esperança para os amantes do mundo fitness e aos que estão focados no projeto verão: a tapioca. Com puro gosto de Brasil, a tapioca é derivada da mandioca e tem origem indígena. O preparo é sem óleo, sem fritura. Um pouco de calor já é suficiente para deixar a farinha unida. A semelhança com o pastel está no formato final, também de meia-lua, e na vasta possibilidade de recheios: tem para todos os gostos, momento e estilos de vida.

Essa lista é só o começo. Você conhece algum outro parente de pastel que possa estar aqui? Escreva nos comentários!

Leia mais:

10 lugares incríveis para comer pastel, segundo leitores da Tutano
Roteiro dos top pastéis curitibanos

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(7)
  • Excelente
    7
  • Muito bom
    0
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    0
DÊ SUA NOTA: