ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Passeio gastronômico pelo Cabral

10 de maio de 2016

(6)
A jornalista Ana Maria Severino, boa entendedora dos prazeres da mesa e frequentadora assídua dos bares e restaurantes do Cabral, conta por onde andou!

Desde criança tenho a estranha mania de dividir Curitiba em lado de “cá” e lado de “lá”. O lado de cá é basicamente do centro para a região onde vivi a vida inteira – um pedaço da parte norte da cidade. O lado de lá é todo o resto. Por exemplo, quando alguém fala que tenho que ir para o Água Verde, Portão, Rebouças, Vila Izabel ou adjacências… já fico com um pouco de preguiça! Sim, sou uma bairrista, no sentido mais literal possível, assumidíssima. Daquelas que, na hora de combinar com os amigos onde será o próximo happy hour ou jantar, sempre tem os argumentos mais variados possíveis de por que os lugares perto da minha casa são os melhores para aquele momento. Gosto de ficar “na área”, sabe? Ainda mais que durante a minha adolescência e parte da juventude todos os lugares ficavam do lado de “lá”! Fora os restaurantes da Mateus Leme, que frequentava com meus pais, todo o resto era para “lá”. Minha mãe ficava desesperada porque cada filho que tirava a carteira já queria atravessar a cidade para desbravar os points do momento. Sempre do lado de “lá”, é óbvio. Naquela época, a vida acontecia apenas no Batel.

Quando as coisas legais começaram a abrir para “cá” foi muito emocionante. Os barzinhos e restaurantes do Alto da XV, do Juvevê, do Ahú, do Hugo Lange… E muitos desses lugares começaram a pipocar também no Cabral. Este foi um dos bairros que mais borbulharam nesta nova fase – é lá que eu moro hoje e de onde vou dar as minhas dicas!

Mas admito que, quando recebi o desafio de contar os meus lugares preferidos do meu bairro, percebi que alguns que queria colocar nesta lista ficavam na vizinhança: Juvevê, Ahú ou Hugo Lange! Mas ok, vou me segurar e me dedicar apenas ao que o mapa me diz que é Cabral!

Admito que, quando recebi o desafio de contar os meus lugares preferidos do meu bairro, percebi que alguns que queria colocar nesta lista ficavam na vizinhança: Juvevê, Ahú ou Hugo Lange.

Gosto muito de me sentar na varandinha da Confeitaria Requinte com calma, pedir um bauru, que vem sempre bem caprichado no queijo, e comer sem pressa. É um programa ideal para quem gosta de tomar café da manhã fora nos fins de semana. Tem vários tipos de sanduíches no cardápio, fora os doces e salgados e as diversas opções de bolos e pães. É um lugar para não frequentar quando se está de regime. Passar ali no fim do dia para comprar várias coisinhas para fazer lanche em casa também é uma delícia!

Uma opção também muito legal para o café da manhã é comer um pão na chapa na tradicionalíssima Piegel, que existe desde 1927 no bairro. Ali vale um café da manhã rapidinho em dia de semana mesmo, sentado no balcão, no maior estilo paulistano de ser! A Piegel era só uma padaria e hoje em dia é um superconglomerado! Tem mercadinho, confeitaria, casa de massas, papelaria, loja de presentes e até um café colonial dançante! Um lugar muito simpático, que faz parte da infância das pessoas do lado de “cá”.

Let’s talk about pizza! Adoro a Mercearia Bresser. Sou fã do lugar e da pizza. É muito bom poder escolher entre os dois ambientes bem distintos, dependendo do mood do dia. A parte da frente tem bem cara de cantina italiana. E a de trás é mais escurinha e tem um astral romântico. O pão de calabresa é uma entrada obrigatória – sim, faz da refeição uma experiência bem mais calórica, mas também muito mais incrível. E se você não comer a pizza Vila Judite não será totalmente feliz! Fica muito a dica, hein! Ah, o azeite de oliva feito com alho é muito saboroso. Se não estiver em cima da mesa, peça para trazer!

Bresser

Mas tem um ponto muito importante: não acho uma boa ideia pedir a pizza da Bresser em casa. Não é a mesma experiência. Esse tipo de pizza tem que servir bem quente, na hora, lá! Por isso, uma quadra e meia para baixo, na mesma rua, existe a Originale Pizzaria. Acho a melhor pizza para pedir em casa da cidade, ela é mais “leve” e chega sempre bem quentinha! Tem umas pizzas diferentes supergostosas e eles são rápidos e atenciosos.

Sim, nós temos um Freddo do lado de “cá” e essa foi uma grande conquista! (rsrs…) Brincadeiras à parte, não sou a maior fã do mundo desse sorvete. Mas, para quem gosta de abacate, vale experimentar o desse sabor, é muito gostoso! Fica uma dica: para quem quiser só uma casquinha mais em conta, é só atravessar a rua e comprar no McDonald’s.

Vira-lata, boxer, chow-chow, golden retriever… Essas são algumas opções do cardápio do Super Dog, tradicional barraquinha de cachorro-quente numa esquina bem movimentada do bairro. Os “hot dogs” veganos são um dos grandes sucessos, eles vêm com vegetais, champignon com ervas finas, tomate, milho, batata palha e molho parmesão. Tem o tradicional também, é claro, que é ótimo! O vegano, admito, como uma carnívora convicta, nunca nem pensei em experimentar, mas quem já comeu diz que é bem gostoso. O bom é que se você estiver num grupo com alguém que não come carne não precisa mudar o programa! Ah, só não pense em passar ali para matar uma larica na madrugada, eles fecham meia-noite.

E se você agora está pensando que tem um milhão de coisas que eu deixei de falar do Cabral, existem duas hipóteses: o que você está pensando não fica realmente neste bairro – sim, aconteceu comigo – ou eu elegi essas porque fazem mais parte do meu dia a dia! Ah, e estando no Cabral você está perto de muitos restaurantes e bares incríveis, que, dependendo da vontade e do preparo físico, dá para ir a pé!

 Por onde andei

Confeitaria Requinte

Rua Recife, 34

Mercearia Bresser

Av. Munhoz da Rocha, 530

Piegel

Av. Anita Garibaldi, 548

Originale Pizzaria

Av. Munhoz da Rocha, 665

Freddo

Av. Munhoz da Rocha, 530

McDonald’s

Av. Munhoz da Rocha, 513

Super Dog

Rua Dr. Manoel Pedro, esquina com Av. Munhoz da Rocha.

 

Ana Maria Severino é jornalista, mora no Cabral e adora comer bem!
COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(6)
  • Excelente
    1
  • Muito bom
    1
  • Normal
    1
  • Ruim
    1
  • Horrível
    2
DÊ SUA NOTA:
COMENTÁRIOS
  • Gostei da forma simples que falou sobre cada lugar.
    Me senti fazendo um passeio junto.
    Ana Maria Severino, quando vier a Porto Alegre, não deixe de nos visitar. Será muito bem vinda!
    http://reidobauru.com.br

  • Adoro as matérias, mas essa do Passeio gastronômico pelo Cabral, deixou a desejar.
    Bjs pessoal