ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Produtores locais: moda ou mudança?

15 de agosto de 2017

(8)
Juliana Soares Sáfadi fala sobre sustentabilidade

Que produtores locais estão na moda, é verdade! Que bom! Mas antes de falar sobre a produção local, vamos falar um pouco sobre sustentabilidade? Gosto deste conceito: “a sustentabilidade pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos naturais das gerações futuras”.

Há muito tempo temos pensado nisso, mas pouco colocamos em prática. Concordam? A vida moderna nos impede de praticar certas interações. É bonito, e está na moda, ter horta própria, fazer compostagem em apartamento, etc. Mas quando temos festas, compramos champanhe, Asti e outros produtos que vêm balançando no navio e ficam tomando um bronze no porto a 40°C dentro de contêineres até chegar às lojas e às nossas casas!

Consumir orgânicos? Sim! Mas os nossos! Que estão pertinho da gente, para fomentar essa economia.

E os espumantes brasileiros já consagrados e premiados mundo afora? E as nossas vinícolas locais, situadas a um raio de no máximo 50 km em nossa Região Metropolitana? Estou citando apenas um exemplo, mas poderia usar este artigo para elencar possibilidades locais de experiências que irão propiciar a tal interação que o conceito nos diz. Consumir orgânicos? Sim! Mas os nossos! Que estão pertinho da gente, para fomentar essa economia. Pois, como li há alguns dias: “produtor no vermelho não pensa no verde”.

Globalização, produção e consumo locais, mercado e concorrência são parte da regra do jogo: o melhor é idealizar um futuro e construir a rota para se chegar aonde se deseja, pensando (de verdade) em que chão nossos filhos e netos irão pisar com os pés descalços.

Juliana Soares Sáfadi é nutricionista especialista em Qualidade de Alimentos, chef de cuisine e sommelière. Atuou em âmbito nacional nos projetos de desenvolvimento e fomento da gastronomia como atrativo turístico, além de elaborar material didático e vídeo aulas (EAD) para Sebrae, Ministério do Turismo e Abrasel. Empreende com eventos gastronômicos, é docente em instituições de ensino da Gastronomia e na associação que representa o segmento, Abrasel.

 

Esta publicação é uma parceria com a Universidade Positivo.

Leia mais:

Curitiba: a melhor capital para viver, visitar e comer!
Quero fazer curso de gastronomia. E agora?

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(8)
  • Excelente
    6
  • Muito bom
    1
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    1
DÊ SUA NOTA:
COMENTÁRIOS
  • Ótimo texto. Compacto, profundo e esclarecedor. Parabéns!