Em qualquer época do ano, o Baviera é uma boa pedida para jantares aconchegantes. Mas a casa vermelha incrustada numa ladeira do centro parece ainda mais atraente em dias frios. Talvez seja culpa da deliciosa sopa de cebola, que aquece corações curitibanos há mais de 40 anos. Além disso, a carta de vinhos do Baviera é das mais democráticas de Curitiba, em termos de custo-benefício.

A atmosfera é única. Passa sensação de que poderíamos estar em qualquer parte do mundo ou em muitas épocas passadas. Talvez seja pelo alambique, logo da entrada, objeto usado desde a Idade Média para destilar bebidas alcoólicas. Talvez seja pela infinidade de objetos que compõem a decoração peculiar de todo salão, que denunciam a adoração do dono pelas velharias.

E assim como a decoração, o cardápio é super tradicional e foi modificado poucas vezes desde a abertura, há 45 anos.