ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Rua Itupava pode virar polo gastronômico

6 de setembro de 2016

(271)
Depois do Água Verde, a rua no bairro Hugo Lange também pode receber o título

Curitiba é, sim, uma cidade vocacionada para o turismo, uma das mais importantes do Brasil para esse setor. E muito dessa vocação vem de outro segmento bem gordo da cidade: a gastronomia. O turismo de urbanismo e negócios, o turismo étnico e ecológico, o turismo de eventos: todos eles estão relacionados, direta ou indiretamente, com o que se come e bebe, e com o que se produz de comida e bebida na cidade. Hoje, não temos apenas a tradicional Santa Felicidade, a saudosa XV de Novembro ou a badalada Avenida Batel. Temos dezenas de regiões que movimentam o setor de alimentação fora do lar em grande estilo.

Pois bem. No início deste mês, a Comissão de Legislação, Justiça e Redação deu parecer favorável à tramitação do projeto de lei que cria o Centro Gastronômico do Água Verde no trecho da Rua Chile e da Avenida Água Verde, entre a Marechal Floriano e a Coronel Dulcídio. O objetivo é garantir o livre trânsito de veículos e pedestres, segurança, harmonia estética, sinalização, repressão ao comércio ambulante irregular, apresentações culturais, festivais e encontros, além da melhoria da iluminação e das calçadas.

Polo Gastronômico da Itupava

Com o marco legal do Água Verde, a próxima rua a ser beneficiada pode ser a Itupava, no Hugo Lange. A proposta de lei, de autoria do vereador Bruno Pessuti, já tramita na Câmara de Curitiba e dá o nome de Polo Gastronômico da Itupava ao trecho entre as ruas Ângelo Lopes e Shichller. Isso tudo graças ao artigo 121 do Plano Diretor de Curitiba, conquistado em sua última revisão, em dezembro de 2015. Ele basicamente facilita, agiliza e regulamenta o investimento do poder público em uma região específica, já consagrada  por investimento empresarial e vocação natural, favorecendo o desenvolvimento econômico sustentável.

Itupava cheia de graça… e de restaurantes

Não é de hoje que a Rua Itupava chama a atenção. Berço de grandes talentos e ideias da publicidade, há anos vem ganhando nova cara, novos sabores e novos talentos na gastronomia. Délio Canabrava talvez tenha sido um visionário, o grande responsável por este novo olhar para a região, desde 2006, com seus 4 estabelecimentos em quatro esquinas, apesar do grande e intocável Tartaruga, que desde 1974 é referência de qualidade e atendimento, graças a Roberto Carlos Bortolanza, proprietário.

A receita não é fácil: vai sal, pimenta e pode ferver, mas esses grupos (da Itupava, da Vicente Machado e de outras ruas com o mesmo potencial), estão, sim, temperando a pauta dos políticos por uma cidade melhor para todos.

Eufóricos com a ideia, esses e outros empresários da região, que também viram na graciosa Itupava potencial para seus negócios, se organizaram e têm se reunido com entidades representantes, como a Abrasel Paraná, com o executivo e o legislativo em busca dos próximos ingredientes. A receita não é fácil: vai sal, pimenta e pode ferver, mas esses grupos (da Itupava, da Vicente Machado e de outras ruas com o mesmo potencial), estão, sim, temperando a pauta dos políticos por uma cidade melhor para todos. Para quem mora na cidade ou não. Para nós, para você, leitor. E se depender da Tutano, vão conseguir.

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(271)
  • Excelente
    261
  • Muito bom
    3
  • Normal
    2
  • Ruim
    2
  • Horrível
    3
DÊ SUA NOTA: