ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Sabores e saberes curitibanos

21 de novembro de 2017

(0)
Erica Vargas e Wesley Medeiros falam sobre comida de rua

As feiras de rua de Curitiba são um verdadeiro registro andante das histórias dos bairros e famílias curitibanas. Contribuindo para uma demanda por espaços de convivência, as feiras formam redutos para reunião de gerações, onde netos e avós encontram a possibilidade de viajar pelo Brasil e pelo mundo, já que as  barraquinhas se tornam embaixadas do sabor, transportando Curitiba para regiões como Portugal, Chile, China, Minas Gerais e Bahia.

Esse último estado está presente nas feiras de rua da capital paranaense há cerca de 30 anos. O convite veio da Secretaria Municipal do Abastecimento para a baiana Maria do Carmo Vargas, na 1ª Fiart (1990/1991). Ela então passou a servir, nas feirinhas, comidas típicas da Bahia, como acarajé, vatapá, pimenta malagueta e uma variedade de pratos com o diferencial que, hoje, continua a ser ofertado por Érica Vargas, a baiana filha, mantendo viva a história e tradição das raízes africanas pelas ruas de petit-pavé.

As feiras de rua são também referência para os novos negócios como, por exemplo, os food trucks. Eles vieram em um momento em que a demanda do mercado por experiências de consumo impulsiona negócios e faz surgir espaços como coworkings ou as tomadas das calçadas, hoje tão disputadas por clientes.

A regulamentação por parte dos órgãos públicos já foi definida para negócios como food truck, tendo um decreto assinado em 19 de junho que garante a formalidade desses empreendimentos, bem como as condições adequadas para atendimento ao público e outras regras que visam a contribuir para consolidação e sustentabilidade econômica da região.

Os maiores benefícios são para os consumidores locais e turistas, que visitam a nossa região e encontram polos gastronômicos com inúmeras opções de experiências transformadoras. Esses são também lugares que fazem parte da história de inúmeras pessoas, movimentando econômica e socialmente os bairros curitibanos. Porque a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte.

Erica Vargas é ex-alina da Graduação em Gastronomia na Universidade Positivo e aluna de Pós-Graduação em Chef de Cuisine Internacional e Nacional na Universidade Positivo. Ela também participa das feiras livres de Curitiba vendendo a mais autêntica comida baiana no espaço “Erica Vargas pedacin da Bahia”.
Wesley Medeiros é aluno da Graduação em Gastronomia na Universidade Positivo.
Esta publicação é uma parceria com a Universidade Positivo.

Leia mais:

7 tendências gastronômicas para ficar de olho
Experiência x Formação

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(0)
  • Excelente
    0
  • Muito bom
    0
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    0
DÊ SUA NOTA: