ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Fórum Tutano Gastronomia arrebentou a boca do balão

20 de setembro de 2018

(242)
Um resumo das 15 horas de evento, 11 palestras e 1 dia para ficar na história da gastronomia paranaense

O Fórum Tutano Gastronomia finalmente saiu do mundo das ideias mirabolantes do Beto Madalosso e entrou para a história da gastronomia no Paraná! O dia 19 de setembro de 2018 vai ficar marcado como o dia que reuniu 709 pessoas no Restaurante Madalosso (e não foi só pela comida): gente que cozinha, pensa, vende, produz e come comida!

Nossa felicidade não poderia ser plena se o sucesso do Fórum não viesse acompanhado de algo que lutamos diariamente para conquistar: o nosso espaço como um veículo de comunicação que debate o presente e o futuro da gastronomia. O Fórum Tutano marca um novo momento da nossa trajetória. E a melhor parte é que somamos a nossa vontade de transformar a gastronomia com a de muita gente: empresários, estudantes, professores, chefs, pessoal que trabalha na cozinha e no salão, entusiastas e curiosos.

“Todo mundo fala em união, porque na teoria isso é bonito, mas na prática pouca gente faz. A Tutano é protagonista nisso, de envolver numa mesma conversa chefs, empresários, estudantes e outros veículos de comunicação. Isso é disruptivo. É a tradução da Tutano. Fizemos todo mundo se abraçar por um propósito”. Palavras do Beto.

Foi graças ao trabalho de muita gente que o Fórum superou todas as expectativas. Profissionais que arregaçaram as mangas e estiveram junt0s em todas as etapas do evento. Teve a galera da Pulp Edições, editora que toca esse portal todos os dias e definiu o conceito do Fórum, criou o conteúdo, o projeto gráfico, a revista e desenhou a ideia junto com o Beto desde o comecinho! Tem também a Páprica, agência digital que desenvolve, programa, impulsiona e cria junto. Parceira de longa data! E, pra fazer tudo isso virar um evento de verdade, parrudo e bem organizado, entraram as meninas da Nazdarovia Eventos. Pra finalizar, a turma do dinheiro, da Performance Mídia, que saiu por aí batendo de porta em porta para fazer o negócio dar certo. Timaço, minha gente!

“Não tem lógica a energia no ar de todos nós! É muita sintonia. Isso transborda para outras pessoas e, de repente, o Fórum não era só nosso, era de todo mundo que estava assistindo, que virou fã e que começou a torcer para dar certo”, conta Beto Madalosso.

Não acredita? Toma uns números então!

No total, foram 15 horas de evento, com 11 conferências em que 33 palestrantes compartilharam suas histórias e trocaram ideias. O Fórum teve 706 participantes que vieram de várias cidades do Paraná e Santa Catarina (alô povo de Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, Joinville, Itajaí…) para aproveitar tudo isso, além de quatro apresentações de circo, café da manhã free, coffee break e até almoço no Madalosso

Achou pouco? Durante o evento foram sorteados três vouchers de 50% de desconto em cursos na Universidade Positivo, nove ecobags e camisetas do restaurante Oteque, duas cesta de produtos Stampa Food e um vale-compras de R$120 da Panipano.

Mas o momento mais mágico foi ver o Seu Carlos Madalosso, o pai do Beto, olhando pro filho com orgulho, chegando de mansinho do lado do palco para dar boa sorte e avisar que ia fazer um descontaaaço no almoço. Sim, minha gente, todo mundo se esbanjou de asinha de frango, polenta e massas artesanais por 30ntão (bebidas não alcoólicas incluídas). Tipo sonho mesmo!

E cê realmente acha que a gente reuniria tanta gente sem dar uma festa? Não somos amadores não, meu anjo! O festão durou quatro horas, com dois showzaçoooooos, um da Chucrobillyman e outro da banda Lenhadores da Antártida. Para acompanhar a vibe animada dessa galera, foram vendidos 240 litros de chope Bodebrown, 60 litros de chope do Madalosso, 600 drinques de gin tônica e mojito e 500 latinhas de Coca-Cola distribuídas.

A festa teve bônus especialíssimos. Foram cerca de 37 dancinhas esquisitas do Beto Madalosso e a canja do Samuel Cavalcanti, da Bodebrown, que arrasou no baixo.

Mais o que teve?

Teve muita gente foda! E quem conduziu toda essa galera foi o nosso colunista vira-latas preferido, o André Bezerra. Não poderíamos ter escolhido melhor mestre de cerimônia, o cara personifica o espírito Tutano.

Durante a abertura, o Beto relembrou alguns dos momentos mais marcantes da história da Tutano, como a transformação da revista em um portal online e o Selo Tutano. “Casa cheia para a Tutano é quando enchemos o restaurante de alguém. Quando escrevemos sobre uma casa e o dono nos liga dizendo que no dia seguinte um monte de gente apareceu por causa da nossa matéria”.

As conferências do período da manhã falaram de empreendedorismo, salientaram as dificuldades do mercado gastronômico, mostraram como é possível pensar fora da caixa e se tornar uma referência mesmo quando se começa descascando batata no porão.

“Quando abri o Terra Madre, trouxe uma consultoria que foi fundamental. Mas uma dica importante é que ela precisa fazer parte, não assumir o seu trabalho. Você tem que conhecer todo o seu negócio. Abrimos em 2005 e mudamos o cardápio só em 2008, era outro modelo, era outra história naquela época. Hoje, toda a semana mudamos algo. A concorrência é brutal e você precisa saber se reinventar sempre”, contou o Raphael Zanette, durante a conferência “Os tombos que levei”.

A tarde foi inspiradora. Chefs como Lenin Palhano, Gabriela Carvalho e Marcelo Amaral, mediados pela jornalista Jussara Voss, falaram sobre transformação. Teve também uma turma do bem discutindo o papel da gastronomia na área social. Frases como “A equação é simples: levar o que sobra para onde falta”, da nossa musa Gabi Mahamud, encheram a plateia de esperança.

Entre uma conferência e outra, as palestras pockets trouxeram muita informação ao público. Mas o que a galera gostou mesmo foi ver ao vivo e a cores o Ravi Leite, nosso curitibano estrela do Masterchef 2017.

Para fechar com chave de ouro, o chef estrelado Alberto Landgraf deu uma aula de como ser incrível. Falou de suas buscas, de beleza, de ética, de simplicidade e realização. Encheu muito olho de lágrima por lá. Foi tanta emoção que todo mundo subiu no palco e se abraçou. Lindo de ver. E sabe quem chamou o povo pra festa? O grande Fernandinho. Ainda não sabe quem é? Segue o Beto no Instagram que você vai descobrir.

É isso, minha gente. Ano que vem tem mais!

Artigo de: Portal Tutano

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(242)
  • Excelente
    175
  • Muito bom
    38
  • Normal
    7
  • Ruim
    11
  • Horrível
    11
DÊ SUA NOTA:
COMENTÁRIOS
  • Grandes nomes, grandes debates, muito conhecimento... E da parte da plateia muitos “nossa, então não é só com a gente que isso acontece!”, alguns risos nervosos na confirmação de dificuldades do setor, alguns “olha, isso é uma boa ideia!”, além de muito aprendizado.

    O mix de convidados e assuntos foi muito bem pensado. Teve conversa para empresário, chef, estudante... Para quem tá começando, para quem tem anos no setor... Passando por pizzaria, buffet por kilo, à la carte sofisticado, cerveja, franquia.... Produção local, expansão, sustentabilidade, cenário atual, perspectivas futuras... Impossível alguém dizer que nada interessou! Nem que seja o almoço por trintão no Madalosso.
    O jeito leve de falar coisa séria também foi um ponto de destaque do fórum, para não ficar um evento chato e monótono.

    Parabéns ao Beto, pela ótima ideia e disponibilidade durante o fórum, e também a toda a equipe da Tutano, por fazer acontecer esse grande evento!!

    Sugestão: para o próximo, aumentar o tempo de alguns painéis. Tinha convidado com tanto conteúdo interessante para falar - e a moderadora com milhares de perguntas nas mãos - que a gente não queria que ele saísse do palco quando o tempo acabava.

    Aliás, o próximo vai ser quando mesmo?

    Vanessa
    Recanto Gaúcho / Lonatto / Suprema Grill

  • Desde quando resolvi me meter a fazer eventos, aos 16 anos (lá se vão 10 anos...) vim aprendendo que uma pessoa nunca sai igual de um grande evento. Ela precisa sair transformada. Pode ser encantada, ultrajada, sentir que foi provocada, até confusa, mas nunca igual. Quarta-feira passada, dia 19, acredito piamente que 709 transformações ocorreram ao longo do dia. Sorte de quem esteve lá.