ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Saiba mais sobre os enlatados

9 de maio de 2016

(6)
Se consumidos com parcimônia, alimentos em lata podem fazer parte de uma dieta nutritiva

Criada por pura necessidade prática durante as guerras, a comida enlatada já foi heroína e vilã, símbolo de modernidade ou de desleixo. Tem gente que a abomina, outros a cultuam. Andy Warhol, o artista pop, a transformou em arte e Alice Waters, a famosa chef orgânica do Chez Panisse, na Califórnia, não deve nem saber de que se trata.

Goste ou não, os enlatados fazem parte do cotidiano. Abra a sua despensa e verá que ao menos uma lata de conserva ou de molho de tomate estará dando pinta por ali. Atum e sardinhas, milho-verde, de repente aquela feijoada que você resolveu comprar, mas ainda não teve apetite para experimentar.

Não há dúvidas de que os alimentos frescos são mais saudáveis e, muitas vezes, mais saborosos, mas comer enlatados não é nenhum sacrilégio contra sua ética de vida orgânica. Também não vão desestabilizar sua prática de ioga, nem te matar de câncer. Enlatados de qualidade, consumidos com parcimônia, podem fazer parte de uma dieta nutritiva e sã, e as modernas latas de aço não precisam de conservantes químicos para preservar os alimentos.

O segredo está no conteúdo e as marcas de “conservas finas” estão se aproveitando do filão. Ao escolherem ingredientes premium, preparados em condições de completa higiene, sem a adição de conservantes e estabilizantes e com baixíssimo nível de sódio, conquistam mercados nos quatro cantos do planeta. Exportam alimentos deliciosos sem precisar de refrigeração. Sardinhas, atum, polvo, bacalhau, lulas, mexilhões e enguias viajam o mundo dentro de latas cada vez mais bonitas e com design atraente. A propósito, você lembra qual foi a última vez que precisou de um abridor de latas?

Querida Carmen é uma marca da Espanha. Exporta paellas e frutos do mar. Com embalagens bem produzidas, decoram as lojas gourmet dos aeroportos espanhóis (e gôndolas de supermercados brasileiros). Outra marca espanhola de altíssima qualidade é a Adolfo Sádaba, que, além dos frutos do mar, exporta pimentões recheados, escabeches de aves e cogumelos variados. A Conserveira de Lisboa é atração turística cult na capital portuguesa e suas latas são tão atraentes quanto o que trazem dentro. A venda ainda é feita unicamente em Lisboa, mas algumas lojas gourmet compram no atacado; se encontrar, compre na hora.

De olho na onda dos enlatados gourmet, um grupo de arquitetos abriu o Tincan, um restaurante pop up em Londres que serve apenas alimentos em conserva, acompanhados de pão, azeite e uma pequena salada verde (esta sim, de folhas frescas). O sucesso da empreitada londrina agora se prepara para a versão nova-iorquina.

O jornalista gaúcho Pinheiro Machado, autor da coluna gastronômica Anonymus Gourmet, do grupo RBS, defende as comidas enlatadas como companheiras silenciosas da cozinha. Já lançou até um livro chamado de “100 Receitas com Latas”. Ele não é o único gourmand a defendê-las. Alguns chefs estrelados confessam usar certos alimentos enlatados em suas receitas, como maionese ou catchup. No Reino Unido há inclusive um canal de TV online chamado Canned Food UK ensinando as pessoas a cozinhar melhor usando alimentos em conserva. Em sua próxima visita ao Mercado Municipal, preste mais atenção às latas. Leia os rótulos, escolha bem e experimente. Um simples espaguete com sardinhas em conserva, salsinha e azeite de oliva pode ser um belo banquete.

Serviço:

Querida Carmen
Conservas Adolfo Sádaba
Conserveira de Lisboa
Tincan
Anonymus Gourmet
Canned Food UK

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(6)
  • Excelente
    4
  • Muito bom
    1
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    1
DÊ SUA NOTA: