ENTRAR Bem-vindo! Faça login para ter
uma experiência completa.

Tuk-Tuk ganha Selo Tutano

29 de março de 2018

(23)
Um restaurante incomum para paladares aventureiros

Uma viagem de Tuk-Tuk é obrigatória aos espíritos livres que buscam experiências capazes de marcar suas histórias. Mas para evitar dúvidas já de início, caro leitor, esclarecemos: o Tuk-Tuk do qual escrevemos, não é o triciclo motorizado que corta as ruas indianas e tailandesas. Escrevemos sobre o restaurante do chef Yuri Ogurtsova – que aliás, tem descendência russa – , numa rua escondida do Cabral, porém tão intenso quanto pegar uma carona no trânsito oriental.

Ao chegar no Tuk-Tuk Comida Indiana e Tailandesa, você deixa de lado todas as convenções sociais do ocidente no que se refere a definição de “bons restaurantes”. Para começar, não há garçons. Se você quer água – que é cortesia da casa – você levanta e busca. Se quer comer algo, vai até o balcão fazer o pedido e paga na hora. Quer guardanapo? “Tem ali, ó. É só pegar”. É uma independência para o cliente que deixaria muitas nações democráticas com inveja.

Essa política de autonomia tem a ver com a história do restaurante. O chef Yuri deu luz ao Tuk-Tuk na garagem da casa que herdou do seu pai, vendendo marmitas. Mas a virada da vida chega para todo mundo, e no caso do Tuk-Tuk, veio em forma de cliente, que em um dia qualquer, pediu uma cadeira e um garfo para comer na garagem. Primeiro cliente oficial da casa que comeu no isopor e com garfo de plástico.

Depois desse, outros se juntaram em busca de um prato não convencional e saboroso. Para acolher os sedentos por experiências, o chef Yuri comprou cadeiras e mesas, montou estruturas para dividir os ambientes da casa, tudo em doses homeopáticas. Foi o improviso despretensioso, sem querer, que fez o curitibano se encantar pelo Tuk-Tuk

Embora esteja num contexto que poderia render diversos “poréns” do público, como a localização confusa – numa rua que até GPS se perde –, o Tuk-Tuk resiste. É um sobrevivente que tem como escudo o que há de mais importante na gastronomia: comida boa. Não tem segredo, é só a prova de que o universo conspira a favor de quem é bom no que faz.

Para manter o cardápio atualizado e os clientes satisfeitos, o chef Yuri viaja, todo o ano, para a Índia e para a Tailândia em busca de cursos de aperfeiçoamento. Quando volta, traz na bagagem receitas que surgem no cardápio do Tuk-Tuk com os mesmos ingredientes que os pratos originais. Apenas com uma alteração: menos pimenta!

No cardápio, samosas de batata, pad thais veganos ou com carne, lassi de manga ou hortelã. Todos os dias, diferentes opções para paladares aventureiros. Por isso, não vá ao Tuk-Tuk desavisado: é um restaurante para aqueles que gostam de sensações incomuns, de temperos antes desconhecidos e de comida para ficar na memória.

Por essas razões, o Tuk-Tuk recebe hoje o Selo Tutano Gastronomia! 

Tuk-Tuk Comida Indiana e Tailandesa

Rua Camões, 1888, Hugo Lange
(41) 3354-5125
Terça a sexta-feira, 11h30 às 14h30
Sábado, 12h às 15h30

Patrocinadores:

Bodebrown
Stampa Food

Leia mais:

Osteria Capitolina ganha o 1º Selo Tutano 2018
O Paraguassu Grelhados também é Selo Tutano

COMPARTILHE ESTA MATÉRIA
AVALIAÇÕES
(23)
  • Excelente
    22
  • Muito bom
    1
  • Normal
    0
  • Ruim
    0
  • Horrível
    0
DÊ SUA NOTA: